Bolsonaro tenta conter desalinhamento entre articulação política e economia

Reunião ocorreu a pedido do próprio Bolsonaro após duas operações consideradas desastradas por interlocutores do presidente

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
22 de julho de 2020 às 18:26 | Atualizado 22 de julho de 2020 às 18:45
Ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto (03.abr.2020)
Foto: Isac Nóbrega/PR

No dia seguinte à apresentação da reforma tributária pelo governo, o ministro da Casa Civil, general Braga Netto, conduziu uma reunião ministerial na qual pediu alinhamento do governo em todas as propostas que sejam levadas ao Congresso Nacional. O pedido foi no sentido de que é necessário haver uma prévia articulação com a Secretaria de Governo, comandada pelo ministro Luiz Eduardo Ramos.

A reunião ocorreu a pedido do próprio presidente Jair Bolsonaro após duas operações consideradas desastradas por interlocutores do presidente e que expôs desalinhamento entre a equipe econômica e a articulação política. Uma, sobre a sanção da lei do saneamento. O governo fez acordo para três vetos, mas a equipe econômica acabou vetando 11, abrindo uma crise de desconfiança com o Congresso. Outra, sobre o Fundeb, em que a equipe econômica abriu uma negociação direta com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e viu-se obrigado a recuar depois.

Leia também:

Flávio Arns será o relator da PEC do Fundeb no Senado
Bolsonaro agora avalia manter Pazuello na Saúde
Bolsonaro é aconselhado a se afastar de radicais para se reeleger

 

Bolsonaro não participou da reunião, mas ministros com quem a CNN conversou disseram que a ordem foi de que tudo relacionado ao Congresso deve passar antes pela Secretaria de Governo.

Segundo assessores do presidente, o Planalto quer evitar novas trombadas, ainda mais quando está prestes a encaminhar ao Congresso uma série de propostas referentes ao programa Pró-Brasil.