Godoy é oficializado como 'nº 2' do MEC; Vogel é nomeado assessor da Casa Civil

Até então auditor da Controladoria-Geral da União (CGU) assumirá como novo secretário-executivo do Ministério da Educação. Exonerado, Vogel volta à Casa Civil

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
22 de julho de 2020 às 02:22 | Atualizado 22 de julho de 2020 às 11:00

A edição desta quarta-feira (22) do Diário Oficial da União (DOU) confirmou a nomeação de Victor Godoy Veiga como novo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), considerado o segundo principal posto na hierarquia da pasta. No dia anterior, o novo ministro Milton Ribeiro havia antecipado que Godoy, até então auditor da Controladoria-Geral da União (CGU), foi escolhido para o cargo. 

Leia também:
Ministro da Educação, Milton Ribeiro anuncia ter contraído Covid-19


A nomeação de Victor Godoy foi publicada conjuntamente com a exoneração de Antonio Paulo Vogel da mesma função. Vogel, que chegou a atuar como ministro da Educação interino antes da nomeação de Ribeiro, também já havia declarado que deixaria o MEC após a posse de Milton Ribeiro. 

"Este tem sido meu papel neste momento: conduzir o MEC sem percalços até o novo ministro. 
Minha missão está chegando ao fim. Agora partirei para outra", disse Vogel à CNN na última semana.

Sua nova função no governo também foi publicada na edição desta quarta-feira do Diário Oficial. Vogel foi nomeado para o cargo de assessor especial da Casa Civil, em portaria assinada pelo ministro-chefe da pasta, Walter Braga Netto.

Vogel retorna, assim, à Casa Civil. Ele foi secretário-executivo adjunto da pasta no início do governo Bolsonaro e foi transferido para o MEC quando Abraham Weintraub assumiu como ministro da Educação.

Diretor de Acordos de Leniência da CGU, Victor Godoy Veiga
Foto: Reprodução/ Controladoria-Geral da União