Ramos procura vice-líderes e diz que saída de Bia Kicis foi 'pontual'

Ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, procurou deputados e senadores que ocupam os postos no Legislativo para dizer que não há "caça às bruxas"

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
24 de julho de 2020 às 18:39 | Atualizado 24 de julho de 2020 às 18:47


Depois de o presidente decidir tirar a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) da vice-liderança do governo no Congresso, o ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, procurou deputados e senadores que ocupam os postos no Legislativo para dizer que não há caça às bruxas e que destituição de Bia foi um episódio pontual e que não haverá demissões em massa. 

Segundo relatos feitos à CNN, a queda da deputada foi resultado não só por sua atuação na votação do novo Fundeb na Câmara --quando ela votou contra as mudanças propostas pelo próprio governo--, mas pelo "conjunto da obra". 

De acordo com auxiliares, o presidente Jair Bolsonaro se sentiu traído pela parlamentar --uma vez que ela havia participado de reuniões sobre a articulação política do governo para que o texto também agradasse o Palácio do Planalto, mas na hora do voto em plenário, acabou indo contra o interesse do governo.

Leia também:

'O próprio Bolsonaro descartou Bia Kicis', diz vice-presidente do PSL

Bolsonaristas 'midiáticos' dificultam articulação com Congresso, diz líder