Senado quer retomar atividades presenciais em agosto para votar indicações

Aprovação de autoridades, como embaixadores, exige voto secreto, o que não é possível com sessões on-line

Larissa Rodrigues Da CNN, em Brasília
28 de julho de 2020 às 16:22
O Senado Federal quer retomar as sessões presenciais já na segunda quinzena de agosto. Há cerca de quatro meses a Casa suspendeu as votações em Brasília e passou a adotar sessões on-line devido à pandemia do novo coronavírus. Agora, a expectativa é que os parlamentares se reúnam a partir do dia 18 de agosto para votação de indicações de autoridades, como, por exemplo, embaixadores do país no exterior. 

Esse tipo de votação, de acordo com a Constituição Federal, só pode ser realizado pelo voto secreto, presencialmente, após sabatina pública. No entanto, o sistema remoto usado atualmente não permite votação secreta, já que ela exige identificação por biometria, como explicou o secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira. 

Leia também

Suspensão de comissões do Senado trava a indicação de 32 embaixadores

Ainda de acordo com Bandeira, para garantir a segurança de parlamentares do grupo de risco, cerca de 1/3 do total, e evitar a transmissão da doença, foram instalados terminais de votação fora do Plenário. Três desses terminais funcionarão como um "drive thru”, onde os senadores acima de 60 anos ou com comorbidades poderão votar ao passar com o carro pela Chapelaria do Congresso, sem que seja preciso sair do veículo