Ministros do STF refutam tese de que há censura prévia na decisão de Moraes

Twitter e Facebook vão recorrer da decisão do Supremo de bloqueio global de contas de bolsonaristas acusados de disseminar fake news

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
31 de julho de 2020 às 16:12

O Twitter e o Facebook decidiram recorrer da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), e relator do inquérito das fake news, para que as redes sociais promovam um bloqueio global de contas e perfis de bolsonaristas acusados de disseminar informações fraudulentas e discurso de ódio contra integrantes da Corte.

Segundo alguns ministros do Supremo que apoiam o andamento do inquérito das fake news, não há censura prévia, já que os alvos desse inquérito não estão impedidos de criar novas contas, dar entrevistas ou renovar xingamentos e ameaças.

Ministros do Supremo ouvidos pela CNN disseram que se os alvos do inquérito decidirem retomar essas atitudes, serão responsabilizados.

Assista e leia também:

Facebook não cumprirá decisão de bloquear contas bolsonaristas no exterior

Contas de bolsonaristas voltam a ser bloqueadas no Twitter, agora no mundo todo

Twitter e Facebook atendem STF e retêm contas de perfis bolsonaristas

No entanto, afirmam que o ato de Moraes tenta cortar o instrumento utilizado para o cometimento de supostos crimes que já são investigados.

Sobre o recurso das redes sociais, foi dito: "Eles podem recorrer, mas se não cumprirem decisão judicial, terão de arcar com as consequências."

(Edição: Bernardo Barbosa)