Novo líder do governo na Câmara desagrada liderança do Republicanos


Bárbara Baião, da CNN, de Brasília
13 de agosto de 2020 às 13:37 | Atualizado 13 de agosto de 2020 às 18:50

A escolha do deputado Ricardo Barros, do PP, para liderança do governo na Câmara desagradou o Republicanos, sigla que também integra a base do governo no Congresso Nacional. O motivo da reclamação do líder do Republicanos na Câmara, deputado Jhonatan de Jesus, é a forma como foi conduzida a troca.

“O governo não conversou sobre a escolha com os demais partidos da base e só o PP foi ouvido”, afirma o parlamentar.

Leia também:
Liberdade de Opinião: Garcia e Rezende avaliam escolha de novo líder do governo
Ricardo Barros busca apoio de Maia e planeja mudança de vice-líderes

Deputado Ricardo Barros, do PP

Deputado Ricardo Barros, do PP

Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Liderança na maioria

Além disso, líderes do centrão ainda discutem o impasse na troca da liderança da maioria, cargo hoje exercido por Aguinaldo Ribeiro, que também é do PP. 

Parlamentares que acompanham as negociações já admitem ir em busca de um novo substituto, depois que o PSDB ameaçou expulsar o deputado Celso Sabino caso ele assumisse. Uma nova rodada de conversas com o deputado Arthur Lira, do PP, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, deve ocorrer na semana que vem. 

O Republicanos e o PSL endossaram o primeiro pedido pela troca, em junho, mas desistiram de manter as assinaturas. Diante do impasse, na semana passada, o presidente da Câmara e o líder do PP conversaram sobre o assunto na tentativa de chegar a um ‘meio termo’. Um dos caminhos debatidos é para que a troca só seja oficializada daqui a cerca de um mês, com o argumento de que Ribeiro vai concentrar esforços na relatoria da reforma tributária. O centrão, no entanto, insiste em concretizar a troca ainda esse mês. 

A ofensiva pela mudança conta com nove partidos que argumentam que Ribeiro não tem mais legitimidade para exercer o cargo pois não representa a vontade majoritária das siglas. Mas, o presidente Rodrigo Maia resiste à troca já que é aliado do atual líder da maioria.