'Próximo ao Centrão, Bolsonaro obtém base para aprovar projetos', diz novo líder

Ricardo Barros relata que o presidente decidiu inverter a prioridade que vigorou até 2019 e negociar com partidos e não com as bancadas temáticas

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
18 de agosto de 2020 às 22:20 | Atualizado 18 de agosto de 2020 às 22:21

Para o deputado Ricardo Barros (PP-PR), novo líder do governo na Câmara, a aproximação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com os partidos do chamado Centrão permitiu a ele obter uma base parlamentar para aprovar os projetos do seu interesse.

"Construir essa relação, que cada dia mais se torna uma relação sólida e harmônica, garante ao presidente a base para aprovar matérias importantes para o Brasil", afirmou Barros em entrevista exclusiva ao âncora da CNN William Waack.

Barros afirmou que a aproximação ocorreu depois que Bolsonaro desistiu de priorizar as alianças com as frentes temáticas, como a da agropecuária ou a evangélica, por entender o peso dos partidos políticos dentro do Congresso.

"Depois de um ano, ele entendeu que quem indica os parlamentares para cada comissão são os partidos, quem indica os relatores das matérias são os partidos, quem encaminha os votos no plenário são os partidos", argumenta.

Integrante do dito Centrão, o deputado Ricardo Barros definiu esses partidos como legendas que não disputam a eleição presidencial e que se aliam ao governo vitorioso em nome da governabilidade do país.

Assista e leia também:

O que é o Centrão, o grupo que domina o Congresso e se aproximou de Bolsonaro

Presidente do PSDB diz que partido não quer liderar o Centrão

Bolsonaro convida líderes do Centrão e do PSL para almoço

"Um conjunto de partidos chamado Centro, que não disputa a presidência da república e dão governabilidade a qualquer presidente que se eleja. Porque? Porque nós queremos ver o presidente integrando a população nos compromissos que fez na campanha."

Ricardo Barros foi oficialmente indicado para a liderança do governo na Câmara nesta terça-feira (18). O deputado do PP e ex-ministro da Saúde substituiu o deputado Vitor Hugo (PSL-GO), que estava na função desde fevereiro de 2019.

O presidente Jair Bolsonaro é representado no Congresso por três líderes. Além de Ricardo Barros, o governo tem um líder para o Senado, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), e um para o Congresso Nacional como um todo, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO).