Alexandre de Moraes vai definir futuro de impeachment do governador do Rio

Ministro do STF avaliará situação de Wilson Witzel (PSC); os trabalhos da comissão de impeachment da Alerj estão suspensos desde 27 de julho

Rachel Amorim, da CNN, no Rio de Janeiro
22 de agosto de 2020 às 21:28

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), vai decidir o futuro do processo de impeachment do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Ele pode ou não validar o texto da Procuradoria Geral da República, que na última quinta-feira (20) se manifestou favorável à manutenção da comissão especial que analisa suspeita de desvio de recursos destinados ao combate à pandemia.

Se Moraes seguir a posição de Augusto Aras, o impeachment será retomado na Assembleia Legislativa do Rio e o governador teria apenas mais três sessões plenárias para apresentar uma defesa e a votação aconteceria em um prazo de até cinco sessões.

Witzel vai precisar do apoio de pelo menos 24 deputados para escapar do impeachment. Se o ministro do STF concordar com a defesa, uma nova comissão especial terá de ser formada, e o processo levará mais tempo, pois o prazo de dez sessões para a defesa do governador terá de ser reiniciado.

Os trabalhos da comissão de impeachment da Alerj estão suspensos desde 27 de julho.