Antes de ser afastado, Witzel tentou conversar com Bolsonaro

Intenção seria evitar operações da PF que envolvessem o governador; em contrapartida, Witzel ajudaria a arquivar processos de Flávio Bolsonaro no MP

Leandro Magalhães, da CNN, em Brasília
30 de agosto de 2020 às 16:35

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), tentou marcar um encontro com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nos últimos dois meses, segundo fontes ligadas a Witzel.

A intenção seria evitar operações da Polícia Federal que envolvessem o governador e a esposa dele, Helena Witzel. Em contrapartida, Wilson Witzel ajudaria a arquivar processos do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) no Ministério Público do Rio de Janeiro.

Leia também:

Com dinheiro de fraudes, Witzel planejava comprar rádio, diz delator

Witzel repassou R$ 15 mil em dinheiro vivo antes de operação da PF, diz delator

Witzel: empresa suspeita planejava encerrar contrato antes de batida policial

Wilson Witzel é diagnosticado com inflamação na próstata

Em junho, Wilson Witzel fez aceno para retomar diálogo com Jair Bolsonaro ao dizer em entrevista à Rádio BandNews que esperava ser recebido pelo presidente. A tentativa, no entanto, fracassou. Um segundo contato foi feito via assessoria. O gesto foi ignorado.

A reportagem procurou a assessoria de Wilson Witzel, mas até o momento não obteve resposta.

O Palácio do Planalto não confirmou o pedido de reunião. E o presidente Jair Bolsonaro não quis se pronunciar sobre o assunto.

Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), faz pronunciamento no Palácio Laranjeiras sobre seu afastamento do governo (28.ago.2020)
Foto: CNN Brasil