PSL acelera escolha de Joice Hasselmann em SP para reduzir efeito Bolsonaro

As eleições deste ano podem ser uma prova do que o partido é capaz de fazer sem o presidente

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
30 de agosto de 2020 às 23:36 | Atualizado 31 de agosto de 2020 às 08:58

Sem realização de prévias, o PSL vai confirmar o nome da deputada federal Joice Hasselmann como candidata à prefeitura de São Paulo nesta segunda-feira (31). O movimento desagrada o grupo favorável ao retorno do presidente Jair Bolsonaro à legenda, que apoiava o nome do deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança, o príncipe, como é conhecido.

"Vamos colocar o bloco na rua no primeiro dia que a lei permitir", afirmou o vice-presidente do PSL, Júnior Bozzella, à CNN. O partido marcou a definição dos candidatos em várias cidades logo no primeiro dia de convenções, esta segunda-feira, para reduzir o chamado "efeito Bolsonaro" na escolha.

Leia também:

Bolsonaro está ‘99%’ decidido a voltar ao PSL e se reunirá com Bivar para acordo

Bolsonaro pede a ministros sintonia e crença no projeto para evitar brigas

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) no plenário da Câmara
Foto: Maryanna Oliveira - 22.abr.2020/Câmara dos Deputados

Somente em São Paulo, vão ser 7 mil candidatos do PSL para vereador.

Na reunião com apoiadores, na semana passada, no Palácio do Planalto, Bolsonaro esboçou o plano de retorno à legenda depois das eleições municipais, de acordo com relatos feitos à coluna. 

Com isso, as eleições deste ano podem ser uma prova do que o PSL é capaz de fazer sem Bolsonaro.

Com a segunda maior bancada no Congresso, o partido tem direito a cerca de R$ 200 milhões no fundo eleitoral e bom tempo de propaganda no rádio e na TV. Em 2022, isso será importante para qualquer candidato que o partido apoiar.