Aras cita impessoalidade e diz que Deltan 'prestou relevantes serviços'

Após seis anos, procurador deixou comando da força-tarefa da Lava Jato no Paraná alegando assunto particular

Daniel Adjuto
Por Daniel Adjuto, CNN  
01 de setembro de 2020 às 14:24 | Atualizado 01 de setembro de 2020 às 14:26

O procurador-geral da República, Augusto Aras, comentou a saída de Deltan Dallagnol do comando da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná.

Leia mais:
Deltan Dallagnol deixa a Lava Jato
Alessandro José Fernandes deve ser anunciado hoje como substituto de Dallagnol

À coluna, Aras disse que "ele (Deltan Dallagnol) oportunamente prestou relevantes serviços, mas a impessoalidade impõe que o serviço público seja realizado de maneira não personalista, propiciando que todos membros da carreira tenham iguais oportunidades e prestem serviço de igual ou melhor competência".

Após seis anos, Deltan deixa a maior investigação do mundo alegando assunto particular. Segundo ele, a filha de um ano passou a apresentar sinais de regressão no desenvolvimento e requer cuidados da família.