Relator explica próximos passos em processo de impeachment de Witzel no RJ

Deputado Rodrigo Bacellar disse que Parlamento entende como 'sérias' as denúncias contra o governador do Rio de Janeiro

Da CNN, em São Paulo
19 de setembro de 2020 às 13:10

O deputado Rodrigo Bacellar (Solidariedade), relator da Comissão Especial que analisa o processo de impeachment do governardor do Rio, Wilson Witzel (PSC), acredita que não há mais como reverter a situação do chefe de estado.

"Desde que foi aceita a denúncia, há indicativos de que o parlamento entende como sérias as acusações que pairam sob o governador Wilson Witzel", disse Bacellar em entrevista à CNN neste sábado (19).

O deputado detalhou os próximos passos do rito após a Comissão Especial aprovar a continuidade do processo na última semana. 

"Na quarta-feira, o relatório será apreciado pelos 70 parlamentares da Casa e, uma vez confirmado, avançamos para a segunda parte do impeachment que é a criação do tribunal misto composto por cinco deputados eleitos, cinco desembargadores do estado do Rio e que será presidido pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. Aceita a denúncia pelo tribunal misto, é imeadiatamente feito o afastamento do governador Wilson Witzel", explicou o relator.

Leia também:

Quem é Cláudio Castro, o cantor católico que assumiu o lugar de Witzel no RJ

Witzel discursará na Alerj para defender seu mandato, diz advogado

Bacellar disse que processos de impeachment são "duros e traumáticos para qualquer regime democrático", mas afirmou que, passado essa fase, o estado do Rio de Janeiro deve seguir normalmente em sua política.

"O governador Wilson Witzel já se encontra afastado pelo Tribunal de Justiça e posteriormente, num eventual afastamento pelo tribunal misto, a gente vai seguir a vida normal porque o estado do Rio não pode parar."

(Edição: Marina Motomura)