Flordelis será ouvida na quarta (23) pela Corregedoria da Câmara dos Deputados

Ré por orquestrar a morte do marido, deputada deve colocar a tornozeleira eletrônica para monitoramento nesta segunda-feira

Leandro Resende
Por Leandro Resende, CNN  
21 de setembro de 2020 às 12:43 | Atualizado 21 de setembro de 2020 às 12:53

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ), ré por orquestrar a morte do marido, pastor Anderson do Carmo, será ouvida nesta quarta-feira (23) pela Corregedoria da Câmara dos Deputados. Ela dará sua versão do caso para o corregedor parlamentar, deputado Paulo Bengtson (PTB-PA), que na semana passada recebeu a defesa escrita da parlamentar.

Leia também:
Caso Flordelis divide filhos entre defensores e acusadores da deputada
Flordelis pede apoio à bancada feminina para não ser cassada antes de julgamento

Deputada Flordelis durante pronunciamento sobre Projeto Pauta Feminina "Março Mulheres"
Foto: Roque de Sá - 13.mar.2019 / Agência Senado

A oitiva, segundo ele, será presencial e “complementar” à defesa escrita, e ainda não tem hora marcada. A deputada deve colocar a tornozeleira eletrônica para monitoramento nesta segunda-feira, na Secretaria de Administração Penitenciária do Rio. Para Bengston, o processo político não tem impacto diante da decisão da Justiça do Rio.

Como base para a decisão, a juíza Nearis dos Santos, responsável pelo processo, lembrou que Flordelis tentou atrapalhar as investigações da morte do marido. Segundo a juíza, com a tornozeleira eletrônica também ficaria mais fácil a fiscalização de que medidas cautelares anteriores sejam cumpridas, como a proibição de contato com testemunhas e acusados do assassinato.