Eleitores não gastarão o pacote de dados ao consultar site da Justiça Eleitoral

Ação faz parte de programa do TSE para combater a desinformação nas eleições

Luana Franzão*, da CNN, em São Paulo
29 de setembro de 2020 às 16:17
Ação faz parte de programa do TSE para combater a desinformação nas eleições
Foto: Tatyana Makeyeva/Reuters (28.set.2019)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) firmou um acordo com as principais operadoras de telefonia do país para assegurar a isenção na cobrança do pacote de dados no acesso ao site do tribunal.

A isenção de cobrança deve permanecer até o fim de novembro, abarcando todo o período eleitoral. A parceria foi firmada através da Conexis Brasil Digital, representante oficial do setor de telecomunicações no Brasil. Claro, Tim, Vivo, Oi e Algar Telecom são algumas das empresas do grupo.

Na prática, o eleitor poderá acessar informações sobre as eleições, concentradas no site da Justiça Eleitoral sem gastar seu pacote de internet. "A intenção é que, ao acessar sem ser cobrado, o eleitor tenha mais estímulo para acessar esse conteúdo", afirma o TSE, em nota.

Leia também:
Quem são os candidatos a prefeito de São Paulo nas eleições de 2020?
Quem são os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro nas eleições de 2020?
Quem são os candidatos a prefeito de Belo Horizonte nas eleições de 2020?
Quem são os candidatos a prefeito de Salvador nas eleições de 2020?
Quem são os candidatos a prefeito de Curitiba nas eleições de 2020?
Quem são os candidatos a prefeito de Porto Alegre nas eleições de 2020?

A não cobrança de pacote de dados para quem acessar os conteúdos da Justiça Eleitoral vale para todos os subdomínios do site, que conta com dicas de cuidados sanitários para o dia da votação, outras dúvidas frequentes do eleitor, como documentos aceitos e ordem de votação, e checagem de notícias sobre o processo eleitoral.

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso afirmou que a ação faz parte das iniciativas da Justiça Eleitoral para combater a desinformação durante as eleições. “Essa parceria vai permitir que a população brasileira acesse gratuitamente o site da Justiça Eleitoral e obtenha informações verídicas, de fonte genuína, que nos permita enfrentar essa epidemia de noticias falsas”, afirmou.