TSE concede liminar, e suspende inelegibilidade de Marcelo Crivella

A liminar foi dada pelo ministro Mauro Campbell, que aceitou o pedido da defesa

Ana Maia e Elis Barreto*, da CNN no Rio
13 de outubro de 2020 às 12:01 | Atualizado 13 de outubro de 2020 às 12:01
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos)
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, obteve na Justiça eleitoral uma liminar para suspender a condenação de oito anos de inelegibilidade. A liminar foi dada pelo ministro Mauro Campbell, que aceitou o pedido da defesa. Com a decisão, a candidatura do atual prefeito para a reeleição volta a cumprir as exigências da Lei da Ficha Limpa. O atual prefeito foi condenado por unanimidade no Tribunal Regional Eleitoral no dia 24 de setembro deste ano. 

Leia mais:
TRE aprova inelegibilidade de Marcelo Crivella em decisão unânime
Datafolha: Paes lidera no Rio, com Crivella e Martha Rocha em segundo

A ação que pediu a inelegibilidade do prefeito do RJ diz respeito a um evento na Comlurb (empresa de limpeza) em que Marcelo Hodge Crivella, filho do prefeito, foi apresentado como pré-candidato a deputado.

Na decisão, Campbell entende que as provas da participação do próprio Crivella no evento são frágeis, e que é "prudente, no caso, deferir a tutela de urgência, que vigorará até o julgamento do mérito por este Plenário, a fim de preservar a amplitude do debate."

Em nota, o prefeito Marcelo Crivella diz que está feliz, e que a justiça foi feita. "Aquelas pessoas que diziam que o Crivella estava inelegível e não podia concorrer – isso dava problema nas pesquisas – agora não têm mais isso, podem escolher o Crivella, porque não está mais inelegível. Pronto. Agradeço muito a Deus, ao Ministro Campbell, que foi o relator, ao nosso advogado, Admar. Agradeço muito a Deus, acho que foi feita justiça”, afirmou Crivella.

(*Supervisão de Thayana Araujo)