Fortunati defende fundo para vacina em Porto Alegre e volta de aulas presenciais


Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
14 de outubro de 2020 às 17:48 | Atualizado 14 de outubro de 2020 às 18:02

O candidato do PTB à prefeitura de Porto Alegre, José Fortunati, defendeu nesta quarta-feira (14), em sabatina à CNN, a criação de um fundo municipal para custear a compra de vacinas contra a Covid-19, sem que a capital gaúcha dependa do governo federal.

A proposta que cria o fundo foi apresentada por aliados do ex-prefeito na Câmara Municipal. Segundo Fortunati, o valor será custeado pela cidade e pela "solidariedade" das doações de empresários da capital gaúcha.

"Além do orçamento do município, vamos buscar apoio também da sociedade civil. Alguns empresários já doaram recursos à prefeitura para a compra de leitos. Não tenho dúvidas de que está se criando uma solidariedade diante dos efeitos da Covid-19", disse o candidato.

O ex-prefeito defendeu a retomada das aulas nas escolas públicas municipais, que está sendo criticada por movimentos de professores, que querem "greve sanitária" em função da Covid-19. Segundo José Fortunati, as aulas têm que voltar para conter o "fosso" entre a rede pública e a privada.

Assista e leia também:

Quem são os candidatos a prefeito de Porto Alegre nas eleições de 2020?
Veja como vai ser votar durante a pandemia da Covid-19
O que pode e o que não pode na propaganda eleitoral de 2020?

"Nós, infelizmente, durante essa pandemia, acabamos alargando ainda mais o fosso entre a escola pública e a escola privada. Por que? Na escola privada, bem ou mal, os alunos seguiram tendo aulas online. Nas escolas públicas aqui no estado, ainda mais em Porto Alegre, isso não foi verificado", disse o postulante do PTB.

A proposta do ex-prefeito é adotar um calendário mais flexível para 2021, pensando em retomar o prejuízo e em cumprimento de protocolos sanitários.

"Temos que dar garantias aos professores, alunos e pais que as escolas vão ter protocolos adequados, que deem a proteção a toda a comunidade. Temos que dar condições de acolhimento, para que todo mundo volte a se sentir bem. E repensar o calendário. Não significa mudar, mas pensá-lo de uma forma muito mais dinâmica", argumentou.

José Fortunati, candidato a prefeito de Porto Alegre em entrevista para a CNN (1

Candidato a prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PTB), em entrevista para a CNN (14.out.2020)

Foto: CNN Brasil

'Prefeito não é desse ou daquele partido'

José Fortunati já foi filiado ao PT, ao PDT e ao PSB e neste ano ingressou no PTB, legenda que tem Roberto Jefferson como presidente e está aliada ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O candidato a prefeito afirmou que quer ficar distante da polarização nacional. "Não estou em um extremo nem em outro", disse Fortunati à CNN, questionado sobre o partido pela âncora Daniela Lima, responsável pela sabatina.

Ele citou seu período à frente da cidade, entre 2010 e 2016, e argumentou que pretende se relacionar com o governo estadual e federal independentemente de seus governantes.

"Se o prefeito é eleito, ele passa não a ser o prefeito desse ou daquele partido, mas passa a ser o prefeito de 1,5 milhão de habitantes, que é a população de Porto Alegre", disse o candidato.

"Eu fui prefeito de Porto Alegre durante três presidentes, presidente Lula, presidente Dilma e presidente Temer. E dois governadores, governador Tasso e governador Sartori. E trabalhei com esses cinco governantes", completou.

Perfil

José Fortunati é formado em direito, foi vereador, deputado estadual, deputado federal, duas vezes vice-prefeito de Porto Alegre (1997-2000 e 2009-2010) e prefeito da cidade.

Assumiu o cargo após o ex-prefeito José Fogaça (MDB) deixar o cargo para se candidatar a governador do Rio Grande do Sul em 2010 e foi reeleito nas eleições de 2012. O candidato a vice-prefeito é André Cecchini (Patriota).

A CNN sabatina nesta semana os quatro candidatos a prefeito de Porto Alegre que ocupam os primeiros lugares nas intenções de voto segundo a última pesquisa do instituto Ibope. José Fortunati (PTB) está em segundo lugar, com 14% das intenções de voto.

Em primeiro lugar, com 24%, está Manuela D'Ávila (PCdoB), sabatinada pela CNN nesta terça-feira (13). Nos próximos dias, serão entrevistados os candidatos Sebastião Melo (MDB), em terceiro com 11%, e Nelson Marchezan Júnior (PSDB), em quarto com 9% das intenções de voto.

A pesquisa Ibope foi colhida entre os dias 3 e 5 de outubro, ouvindo 805 pessoas. O questionário foi registrado sob o indicador RS-07152/2020, com nível de confiança de 95% e margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O contratante da pesquisa é a TV RBS, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul.