Justiça de SP suspende bloqueio de bens de João Doria

De acordo com a defesa do governador, a magistrada apontou insuficiência de indícios para comprovação de qualquer ato de improbidade administrativa

Da CNN, em São Paulo
26 de outubro de 2020 às 13:15 | Atualizado 26 de outubro de 2020 às 14:23

 

A desembargadora Ana Liarte, da 4ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, suspendeu, nesta segunda-feira (26), a decisão liminar de primeira instância que havia determinado a indisponibilidade de bens de João Doria (PSDB), ex-prefeito de São Paulo e atual governador do estado. As informações são da âncora Daniela Lima.

De acordo com a defesa do governador, a magistrada apontou insuficiência de indícios para comprovação de qualquer ato de improbidade administrativa nos autos da ação movida pelo Ministério Público e destaca que “qualquer programa público prevê o dispêndio de verba com publicidade informativa”, sendo “dever constitucional do gestor público informar a população”.

Leia e assista também

Justiça determina bloqueio de bens de João Doria

Ao lado de Doria, Maia oferece apoio à Coronavac e defende diálogo com Bolsonaro

A denúncia contra Doria aponta que, quando ocupava o cargo de prefeito da capital paulista, ele utilizou cerca de R$ 29 milhões em verba pública de forma inadequada para publicidade do Programa "Asfalto Novo". 

"A defesa de João Doria acredita na Justiça e lamenta que a citada ação civil pública, que encontrava-se sem movimento desde julho de 2019, tenha sido retomada agora, curiosamente às vésperas das eleições municipais, e seja utilizada como arma para ataques infundados contra Doria", afirmam os advogados.