Polícia Federal vai usar drones para fiscalização nas eleições municipais

Medida deve ser implementada em todos os estados brasileiros, com mais de 100 aeronaves na operação

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo
27 de outubro de 2020 às 09:18 | Atualizado 27 de outubro de 2020 às 14:25

 

A Polícia Federal de São Paulo anunciou nesta terça-feira (27) que vai utilizar drones na prevenção e repressão a crimes eleitorais durante as eleições municipais 2020.

A notícia já havia sido divulgada por outras unidades da organização na tarde dessa segunda (26). Medida deve ser implementada em todos os estados brasileiros, com mais de 100 aeronaves na operação.

Assista e leia também:
Walmart começa a testar entregas com drones autônomos
iFood começará testes para utilizar drones em sistema de entregas
Pandemia acelera demanda por drones; empresas brasileiras estudam uso

Segundo a PF, os equipamentos serão alocados em municípios considerados estratégicos para sobrevoar as principais zonas eleitorais. Desta forma, a corporação vai poder fiscalizar e combater crimes como “compra de votos, boca de urna e transporte de eleitores”.

“Com tecnologia de ponta e capazes de se tornarem imperceptíveis ao voar em elevada altitude, os drones são dotados de câmeras de alta resolução com zoom suficiente para identificar suspeitos e placas de veículos”, informou a PF em um comunicado à imprensa.

As imagens capturadas pelos drones serão exibidas para uma equipe da Polícia Federal para analisar os dados e facilitar a tomada de decisão ou deslocamento de oficiais, caso necessário.

“O uso de drones possibilitará, ainda, diminuir a presença física dos policiais e o contato social com não envolvidos em situação criminosa”, informou a PF.