Maia reafirma compromisso com vacina e defende que Anvisa seja independente

Presidente da Câmara ironizou fala de Bolsonaro sobre 'país de maricas' e uso de 'pólvora' contra os Estados Unidos

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
10 de novembro de 2020 às 20:16 | Atualizado 10 de novembro de 2020 às 20:17
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Foto: CNN Brasil (27.out.2020)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), respondeu em uma publicação nas redes sociais falas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao longo desta terça-feira (10). 

Sem citar a Coronavac nem nominalmente a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Maia disse que defende uma vacina contra a Covid-19 e que os órgãos reguladores, como a agência, devem ser independentes.

"Em nome da Câmara dos Deputados, reafirmo o nosso compromisso com a vacina, a independência dos órgãos reguladores e com a responsabilidade fiscal", escreveu o deputado, que manifestou solidariedade com as vítimas da pandemia.

Assista e leia também:

Bolsonaro critica proposta de Biden sobre Amazônia: "só diplomacia não dá"
"A pandemia foi superdimensionada", diz Bolsonaro

Maia ironizou a colocação do presidente, para quem o Brasil precisa "deixar de ser um país de maricas" e que "apenas a diplomacia não dá" caso os Estados Unidos imponham barreiras comerciais em função do desmatamento na Amazônia.

"Entre pólvora, maricas e o risco à hiperinflação, temos mais de 160 mil mortos no país, uma economia frágil e um estado às escuras", criticou. 

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro fez referência ao presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, a quem chamou de "grande candidato à chefia de estado". Biden é engajado em temas ambientais e há a percepção de que ele endureça a cobrança ao Brasil sobre os temas ambientais, podendo eventualmente até