Presidente da Câmara, Rodrigo Maia vota em escola da Barra da Tijuca, no Rio

A jornalistas, deputado falou sobre a responsabilidade dos prefeitos eleitos e reeleitos diante de uma nova realidade financeira

Cleber Rodrigues, da CNN, no Rio de Janeiro 
15 de novembro de 2020 às 12:52 | Atualizado 15 de novembro de 2020 às 14:26


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), votou na manhã deste domingo (15) na Escola Municipal Professora Zuleika Nunes de Alencar, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

Diferentemente das eleições anteriores, quando veio acompanhado dos filhos e da esposa, Maia chegou sozinho ao local de votação, seguindo a recomendação do TSE de evitar levar acompanhantes, por causa da pandemia.

Na seção, Maia cumpriu o protocolo de prevenção à Covid-19 e assinou o documento usando sua própria caneta. Depois de votar, o presidente da Câmara dos Deputados acenou para as câmeras e, na saída, conversou com os jornalistas. Entre os temas, abordou a responsabilidade dos prefeitos eleitos e reeleitos diante de uma nova realidade financeira dos royalties de petróleo.

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, vota no Rio de Janeiro
Foto: CNN Brasil

Assista e leia também:

Eleitor poderá justificar ausência por aplicativo de celular; saiba como fazer
Perdeu o título de eleitor? Saiba o que é preciso apresentar para votar
É crime eleitoral tirar foto da urna? O que não se pode fazer na hora do voto
Meu local de votação mudou? Veja como consultar

“Eu acho que o Rio errou muito no passado. Nós utilizamos muito mal os recursos dos royalties, a prova está aí com a nossa crise econômica e social, que são muito grandes nos municípios que tiveram royalties no estado. Agora é uma questão de recuperar a economia do estado e as contas públicas dos municípios, para que todos possam organizar a sua gestão com base nas suas condições, sem criar despesas que não tenham como pagar”, disse Maia.

Rodrigo Maia também afirmou que deve voltar ainda hoje à Brasília para cumprir sua agenda de compromissos na Câmara dos Deputados.