Escondido na campanha, João Doria decide participar da coletiva de Bruno Covas

Governador recebeu pouquíssimas menções de Bruno Covas ao longo da campanha eleitoral e não apareceu sequer nos eventos com a militância do partido

Pedro Duran, da CNN, em São Paulo
15 de novembro de 2020 às 21:15

A assessoria do governador João Doria confirmou à reportagem da CNN que o tucano participará da coletiva de imprensa do prefeito e candidato à reeleição Bruno Covas.

Os tucanos estão reunidos neste momento, aguardando o avanço das apurações que acabaram demorando mais que o esperado. O ponto de encontro foi a casa do coordenador de campanha de Covas e ex-chefe de gabinete de Doria, Wilson Pedroso.

Leia também:

‘Derrota de Bolsonaro’, diz Doria sobre eleição em São Paulo

Acompanhe a apuração dos votos para prefeitos e vereadores de São Paulo em tempo real

Eleições 2020: 372 urnas foram substituídas no estado de São Paulo

Eles só vão se deslocar para o diretório estadual do PSDB, na região central de São Paulo, quando os números estiverem mais consolidados. Inicialmente, a coletiva de imprensa estava marcada para as 20h, se de fato houvesse um panorama melhor dos resultados.

O diretório do partido já foi tomado por militantes do PSDB, que foram convocados pelo presidente municipal do partido, Fernando Alfredo, por WhatsApp, que pediu aos simpatizantes do partido “um caloroso abraço” em Covas.

O escritório usado frequentemente pelo governador João Doria pra coletivas e reuniões partidárias já concentra mais de 100 militantes e pelo menos 30 jornalistas, além de deputados, secretários e dirigentes partidários.

Doria escondido

O governador recebeu pouquíssimas menções de Bruno Covas ao longo da campanha eleitoral e não apareceu sequer nos eventos com a militância do partido ou propagandas eleitorais. O afastamento foi defendido pelos estrategistas da campanha como freio da rejeição de Covas. Na avaliação deles, o prefeito poderia herdar o sentimento negativo de parte do eleitorado em relação ao governador. 

A própria campanha de Márcio França, do PSB, que perdeu a eleição para o governo do estado dois anos atrás, tentou colar Doria em Covas para levar vantagem.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo
Foto: CNN (23.set.2020)