Radar Político: Maior disputa sobre a Coronavac ainda pode estar por vir

Se vacina chinesa se viabilizar antes das outras, disputa entre Jair Bolsonaro e João Doria terá mais um ponto de tensão: o financiamento do imunizante

Da CNN
23 de novembro de 2020 às 12:38

No quadro Radar Político, da CNN Rádio, desta segunda-feira (23), Caio Junqueira e Igor Gadelha comentam o mais recente episódio na disputa pela vacina Coronavac envolvendo o governo federal e o governo do estado de São Paulo.

Junqueira trouxe uma nova problemática sobre a disputa envolvendo o presidente, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o imunizante.

“A grande celeuma que vai acontecer é se a Coronavac se viabilizar primeiro do que as outras vacinas”, afirmou. 

“Isso porque Doria não tem uma operação financeira clara para comprar essas vacinas. Ele precisa que ela seja inserida no programa de imunização do Ministério da Saúde [para garantir o financiamento das doses]”, continuou.

Assista e leia também:
'Muito estranho', diz Dimas Covas sobre ausência da Coronavac em nota da Saúde
Fornecimento de gelo seco é apenas um dos desafios na distribuição de vacinas
Negociação da Coronavac com governo Bolsonaro deve ser retomada após eleições

Já Gadelha considerou que o fato de o documento divulgado no domingo (22) pelo Ministério da Saúde sobre previsão de acesso a potenciais vacinas contra Covid-19 não incluir a chinesa Coronavac serviu para reacender a disputa entre o governo federal e o governo de São Paulo. 

“Eu conversei com o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas,  e ele disse ter visto uma conotação política do Ministério da Saúde”, disse. 

“Nas palavras do Dimas Covas, o ministério não citou a Coronavac por "medo de levar mais um puxão de orelha" do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)”, completou o jornalista.

Além da questão da Coronavac, Gadelha e Junqueira também falaram sobre o discurso do presidente durante a cúpula do G-20.