2º turno em Porto Alegre exclui candidato à reeleição

Sebastião Melo (MDB) e Manuela d'Ávila (PC do B) disputam a prefeitura da cidade no próximo domingo, 29

Iuri Pitta e Diego Freire, da CNN, em São Paulo
26 de novembro de 2020 às 05:00 | Atualizado 27 de novembro de 2020 às 17:01
Sebastião Melo (MDB) e Manuela d’Ávila (PCdoB) disputam o segundo turno em Porto Alegre
Foto: Reprodução / CNN
 

Porto Alegre, a capital de um estado que nunca reelegeu um governador, também vive uma situação pouco usual nas eleições municipais de 2020: foi a única das 26 a não ter o candidato à reeleição no segundo turno.

O tucano Nelson Marchezan terminou a primeira votação em terceiro lugar e agora assiste, em uma posição pública de neutralidade, à disputa entre o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB) e a ex-deputada Manuela d'Ávila (PC do B).

O emedebista foi o mais votado, beneficiado pela renúncia de José Fortunati (PTB), decisão tomada na última semana do primeiro turno.

Porto Alegre tem um histórico de gestões bem avaliadas do PT, a ponto de ter servido durante anos como vitrine do modelo de gestão do partido antes de a sigla ter obtido projeção nacional.

Por sua vez, Manuela d'Ávila tem como desafio superar a desconfiança do eleitorado porto-alegrense em relação à esquerda, após a Operação Lava Jato, o impeachment de Dilma Rousseff (que tem residência na cidade) e gestões estaduais não tão bem sucedidas.

Melo, por sua vez, chegou a ensaiar no início da campanha alguma proximidade com o bolsonarismo - seu vice é do DEM e próximo do ministro Onyx Lorenzoni -, mas tenta construir uma imagem de moderação em comparação à adversária.

O impacto da saída de Fortunati
Às vésperas do primeiro turno, em 14 de novembro, Manuela d'Ávila aparecia consolidada na liderança das preferências em Porto Alegre. Em pesquisas divulgadas no dia, ela apareceu com 40% das intenções de voto no Ibope e 39% no RealTime Big Data - enquanto Sebastião Melo tinha, respectivamente, 25% e 15% nos mesmos levantamentos.

Nas duas projeções, porém, já era possível perceber a grande influência que a saída de José Fortunati, anunciada dias antes, teria para a corrida eleitoral. No Ibope o nome de Fortunati não aparecia na pesquisa, já impulsionando um salto de Melo, enquanto o RealTime ainda trazia o candidato do PTB como uma das opções.

Nas urnas, por fim, ficou a impressão de que boa parte dos votos de José Fortunati migrou para Sebastião Melo - que foi vice-prefeito da cidade no governo do próprio Fortunati.

No resultado final do primeiro turno, Manuela d'Ávila, após liderar boa parte das pesquisas até então, terminou na segunda colocação com 29% dos votos válidos, ultrapassada por Sebastião Melo, que ficou com 31,01%.

Destino dos votos de Marchezan
Além da mudança na primeira posição, os resultados do primeiro turno trouxeram outro fator importante para entender o contexto eleitoral da capital gaúcha: a boa votação do terceiro colocado, o atual prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) - com 21,07% dos votos -, mostrou que Manuela, até então favorita, poderia ter dificuldades no segundo turno. Afinal, a candidata teve uma campanha polarizada com o tucano nas semanas anteriores, o que sugere que uma maior transferência dos votos de Marchezan poderá beneficiar Melo.

Pesquisa de segundo turno
Ainda é incerto, porém, se essas tendências decidirão a eleição. Nesta terça-feira (24), uma nova pesquisa Ibope mostrou que o cenário atual em Porto Alegre ainda é de equilíbrio: Manuela aparece em desvantagem, mas por uma margem estreita e com o cenário aberto a uma semana da votação.

Com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, o Ibope tem Sebastião Melo com 54% dos votos válidos (que excluem brancos e nulos) e Manuela D’Ávila com 46%.

Nos votos totais, no entanto, a diferença é menor: Melo tem 49% e Manuela, 42%; enquanto 5% dos eleitores declaram a intenção de votar em branco ou nulo e 4% não sabem ou não responderam.
Esses percentuais, considerando a margem de erro, mostram que Manuela tem condições de reverter o quadro, embora as últimas semanas tenham sido de indicadores mais positivos para Melo.

O Ibope ouviu 805 eleitores em Porto Alegre entre 22 e 24 de novembro de 2020. A pesquisa foi feita a pedido da RBS TV e tem número de identificação na Justiça Eleitoral RS-03118/2020.