Após derrota no RJ, Crivella pede 'transição em paz' e agradece Bolsonaro

Durante um pronunciamento no comitê de Campanha, Marcelo Crivella disse que o presidente Bolsonaro "é um homem de convicções"

Jairo Nascimento, da CNN, no Rio
29 de novembro de 2020 às 20:55 | Atualizado 29 de novembro de 2020 às 20:55
Foto: Jairo Nascimento/CNN

Marcelo Crivella (Republicanos) desejou uma "transição em paz" para o prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM), e agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pelo apoio na eleição. O atual prefeito recebeu 35% dos votos válidos.

Durante um pronunciamento no comitê de Campanha, Marcelo Crivella disse que o presidente Bolsonaro "é um homem de convicções. Ele não foi na maré, contrariou a maré. Isso nos honra muito. Nosso partido nos prepara para próxima luta que será a eleição do nosso presidente em 2022". Durante a campanha local e em live na internet, o presidente pediu voto para o atual prefeito.

Leia também:
Paes (DEM) derrota Crivella (Republicanos) e é eleito prefeito do Rio de Janeiro
Rio: Prefeito precisará arcar com dívida alta e gastos sufocados (e sem caixa)

Crivella não respondeu a crítica de Paes sobre "pior governo da história", defendeu seu atos de mandato em investigações de supostos casos de corrupção no legado olímpico, derrubada de cobrança de pedágio na linha amarela e agradeceu sua base eleitoral.

"Já perdi eleição, perdi pro Cabral, mas será que eu perdi e ele ganhou? É importante que o Rio conquiste uma maturidade política eleitoral", disse.

Crivella votou por volta das 10h da manhã na escola municipal Sérgio Buarque de Hollanda, na zona oeste. Ele ficou em casa durante o restante do dia e, por volta das 17h30, saiu para participar de culto na Igreja Universal da Barra da Tijuca. O atual prefeito não acompanhou a apuração e pregou na igreja por cerca de uma hora.

Crivella ficou em segundo lugar com 35,93% e 913.700 votos. Eduardo Paes foi eleito prefeito do Rio com 64,07% dos votos válidos.