MDB do Senado pede que tamanho da bancada seja respeitado e lança nomes

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
16 de dezembro de 2020 às 15:56 | Atualizado 16 de dezembro de 2020 às 15:58

 

O MDB do Senado pediu nesta quarta-feira (16) que seja respeitado o tamanho da bancada no processo eleitoral que escolherá o novo presidente da Casa no dia 1º de fevereiro. O partido também decidiu que lançará um candidato na disputa.

Em nota divulgada após a reunião, o partido pede “respeito à dimensão da bancada”. “Com maior número de parlamentares no Senado Federal, a bancada está pronta e unida para assumir a responsabilidade e os compromissos que lhe cabem na eleição para o comando da Casa. O respeito ao diálogo e a dimensão das bancadas é particularmente importante para garantir condução equilibrada para uma pauta de reconstrução do país”, diz a nota. 

Leia também:

Quem são os candidatos às presidências da Câmara e do Senado

Veto à reeleição de Maia e Alcolumbre prejudica pauta e joga pressão sobre MDB

A regra de a maior bancada eleger o presidente é uma tradição na Casa.

Apesar de ter o maior número de senadores, 13, o partido assiste a uma movimentação do Palácio do Planalto e do atual presidente da casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), em torno da construção do nome de Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Conforme mostrou a CNN, o governo já foi inclusive avisado de que o mineiro Antonio Anastasia, do PSD, que tem a segunda maior bancada, desistiu em favor de Pacheco. 

Na reunião desta quarta, quatro senadores colocaram seus nomes como possíveis candidatos: os líderes do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), e no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e do MDB, Eduardo Braga (AM), e a presidente da CCJ, Simone Tebet (MDB-MS). 

Destaques do CNN Brasil Business:

Câmara aprova base do Orçamento 2021 com rombo de R$ 247 bi e mínimo de R$ 1.088

Maia diz que tentará votar texto do governo da reforma tributária semana que vem

Motoristas britânicos processam Uber na Holanda por uso de dados

Eles decidiram que todos irão a campo para tentar viabilizar seus nomes e aquele que conseguir melhor condições será o nome do partido na disputa.

“Foi com essa convicção que a bancada do MDB decidiu pelo consenso interno, comprometendo-se a dialogar com todas as bancadas para apresentar um candidato único do partido para a sucessão da presidência do Senado.”