Radar Político: Voto de Nunes Marques sobre vacinas foi bem recebido no Planalto

Neste caso e também na ação que barrou a reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, argumentação do ministro foi bem recebida pelo governo

Da CNN
18 de dezembro de 2020 às 13:18

No quadro Radar Político desta sexta-feira (18), na CNN Rádio, os analistas Caio Junqueira, Fernando Molica e Igor Gadelha comentaram o voto do ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a obrigatoriedade da vacinação no Brasil.

“O que me chama atenção, nesse processo todo, é a posição do ministro Nunes Marques, cada vez mais se mostrando um ministro do establishment”, disse Junqueira.

“Um ministro que tem votado de acordo com o que o Palácio [do Planalto] quer, de acordo com o que Congresso quer. Ele fez exatamente o que o governo esperava na votação sobre a reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre e agora, mais uma vez”, completou.

Assista e leia também:
STF decide que vacina contra a Covid-19 deve ser obrigatória, mas não forçada
Daniela Lima: Lewandowski coloca Anvisa sob pressão para analisar vacinas
Radar Político: Bolsonaro e STF devem seguir discordando sobre vacinação

Já Gadelha afirmou que no Planalto o voto do ministro foi bem recebida, ao contrário da reação ao Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras.

“Sobraram críticas ao PGR, que nesse julgamento defendeu a tese de que a vacina deve, sim, ser obrigatória, mas não compulsória”, afirmou

Ele disse ainda que membros do bolsonarismo radical tentam confundir parte da população dizendo que o Supremo tenta impor a vacinação compulsória – o que, de fato, não aconteceu.

Igor Gadelha, Caio Junqueira e Fernando Molica comandam o Radar Político, na CNN Rádio
Foto: CNN Brasil

Por fim, Molica destacou a decisão do ministro do STF Ricardo Lewandowski, que permitiu a compra de vacinas aprovadas por órgãos reguladores estrangeiros.

“A decisão foi um recado muito direto ao presidente da República. Ele diz que o STF tem ressaltado a ação conjunta das autoridades federais e municipais no enfrentamento da pandemia e, em particular, para suprir lacunas do governo central”, afirmou.

Ele destacou ainda que a obrigatoriedade da vacina, não é nenhuma novidade na vida do brasileiro. “É preciso apresentar o cartão de vacinação para matricular filhos na escola, para receber o Bolsa Família, enfim, nada novo.”