'Rio vive momento muito delicado', diz prefeito em exercício

"A situação é dramática", diz Jorge Felippe, que assumiu a prefeitura com a prisão de Marcelo Crivella

Da CNN, em São Paulo
22 de dezembro de 2020 às 16:06 | Atualizado 22 de dezembro de 2020 às 17:04

 

Jorge Felippe (DEM), presidente da Câmara de Vereadores que se tornou prefeito em exercício do Rio de Janeiro após a prisão de Marcelo Crivella (Republicanos) nesta terça-feira (22), falou à CNN sobre os desafios de assumir a cidade a poucos dias do fim de 2020.

"A cidade do Rio, a prefeitura, vive um momento muito delicado. As finanças combalidas, não tem recursos para cumprir suas obrigações constitucionais. Estamos lutando para conseguir pagar o 13º salário. Estou tendo conhecimento hoje da real situação da prefeitura", afirmou.

Leia também
Prefeito Marcelo Crivella é preso no Rio de Janeiro
Presidente da Câmara do Rio vai substituir Crivella na Prefeitura; saiba quem é
Entenda o que é a Operação Hades, que culminou na prisão de Marcelo Crivella 

Ele sabe os desafios que o esperam. "A Prefeitura do Rio não tem recursos sequer para arcar e cumprir com seus compromissos com seu funcionalismo e terceirizados".

A saturação do sistema de saúde para atender ao aumento de casos de Covid-19 também é uma questão. "Vamos procurar a União porque hoje a taxa de ocupação dos nossos leitos de enfermaria é de 83%, e UTI, 91%. Já estamos iniciando essas tratativas com o governador Cláudio Castro e o secretário de estado de Saúde para buscar um caminho que atenda às necessidades da cidade. A situação é dramática", disse Felippe.