Presidente da Assembleia de SC tem prisão domiciliar decretada em operação da PF

Júlio Garcia é alvo de investigação que combate suposto esquema de corrupção, fraude e lavagem de dinheiro no alto escalão do governo

Gabrielle Ravasco, Flávia Martins e Vianey Bentes, da CNN
19 de janeiro de 2021 às 13:41 | Atualizado 19 de janeiro de 2021 às 13:43
Presidente da Assembleia de SC, Júlio Garcia, foi preso em operação da PF
Foto: Daniel Conzi/Alesc

A Polícia Federal, em operação conjunta com a Receita federal, deflagrou nesta terça-feira (19) em Santa Catarina a operação Alcatraz que investiga os crimes de corrupção, fraude em licitação e lavagem de dinheiro.

Um dos alvos da investigação, o presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Júlio Garcia, teve prisão domiciliar decretada, ainda por tempo indeterminado.

A operação aponta que existe uma organização criminosa dentro do Governo de Santa Catarina desde 2008 comandada por ocupantes do alto escalão das instituições públicas e privadas.

Segundo a investigação, o governo de Santa Catarina pagou mais de R$ 500 milhões, boa parte dessa verba destinada à Saúde.

As irregularidades dizem respeito a contratações milionárias que foram feitas sem orçamento, sem cotação e por empresas que possuíam relacionamento entre si.

Foram expedidos 34 mandados de busca e apreensão e 20 mandados de prisão.

A CNN entrou em contato com a defesa do presidente da Alesc e com a própria Alesc, mas ainda não teve retorno.