Após fim da Lava Jato, STF tem 257 processos da operação em tramitação

102 pessoas foram denunciadas no Supremo no âmbito da Lava Jato

Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília
08 de fevereiro de 2021 às 15:05 | Atualizado 08 de fevereiro de 2021 às 15:09
Sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília
Foto: Reprodução/Flickr


Balanço feito pelo gabinete do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), indica que há 257 processos relativos à operação Lava Jato em tramitação na corte.

Desde 1º de fevereiro, a Lava Jato no Paraná passou a integrar o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal (MPF).

A força-tarefa paranaense deixa de existir, porém alguns de seus integrantes passam a atuar no Gaeco, com o objetivo de dar continuidade aos trabalhos.

Ainda de acordo com o levantamento divulgado pelo gabinete de Fachin, concluído em 5 de fevereiro, foram denunciadas 102 pessoas no âmbito da operação até janeiro deste ano. As denúncias envolvem políticos no exercício de cargo e com prerrogativa de foro no tribunal. 

 

Do total de denúncias, oito foram rejeitadas. De acordo com o gabinete, também houve 221 mandados de busca e apreensão na corte, 12 prisões preventivas e quatro condenações. Já na na primeira instância da Lava Jato, nas varas federais nos estados, houve 1450 mandados de busca, 132 prisões preventivas e 278 acusações. 

Em relação às denúncias, 27 denunciados viraram réus, com quatro condenações e duas absolvições. Fachin é o relator de 21 ações penais. 

Segundo o balanço, foram homologadas 21 colaborações premiadas pelo ministro Teori Zavascki, morto em 2017; 77 pela ministra Cármen Lúcia e 21 pelo ministro Edson Fachin.

De acordo com o relatório, foram arrecadados R$ 956.015.780,97 em pagamentos de multas em colaborações premiadas. O valor foi atualizado até 17 de dezembro de 2020.

Em 2017, foram arquivados 13 Inquéritos, já em 2018 foram cinco inquéritos. Em 2019, 13 inquéritos foram arquivados e em 2020 apenas um inquérito.