Escolha do novo ministro da Cidadania se afunila em dois nomes

Segundo fontes do Palácio do Planalto e da cúpula do Republicanos, João Roma desponta como favorito

Por Igor Gadelha, CNN  
09 de fevereiro de 2021 às 14:27
Deputados João Roma (à esquerda da imagem) e Márcio Marinho (à direita)
Foto: Reprodução/ Câmara dos Deputados

As tratativas para a definição do novo ministro da Cidadania se afunilaram, nas últimas horas, em dois nomes: os dos deputados federais João Roma e Márcio Marinho, ambos do Republicanos da Bahia.

Segundo fontes do Palácio do Planalto e da cúpula do Republicanos, Roma desponta como favorito, mas ainda precisa vencer a resistência do presidente nacional do DEM, ACM Neto.

Padrinho político de Roma, Neto teme que a nomeação do afilhado seja interpretada como uma indicação do dirigente em troca da articulação para o DEM ficar neutro na disputa pela presidência da Câmara.

A interlocutores e aliados, Neto avaliou que esse fato pode alimentar ainda mais o discurso de Rodrigo Maia, que, em entrevista ao jornal Valor Econômico, o acusou de "traição" na eleição para o comando da Casa.

Em conversas reservadas nesta terça-feira (9), Roma admitiu ter interesse em assumir o Ministério da Cidadania no lugar de Onyx Lorenzoni, mas reconheceu que a resistência de Neto pode ser um empecilho.

O nome de Roma agradaria não só o Republicanos, como ao próprio Onyx e ao ex-presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP), dos quais o deputado baiano é muito próximo.

Caso Roma recuse a pasta, a aposta é de que Márcio Marinho será o indicado. Também cotado, o deputado Jhonantan de Jesus (Republicanos-RR) avisou a colegas que abriria mão do posto.

Tanto Roma quanto Marinho possuem suplentes filiados ao Republicanos, o que manteria o mesmo tamanho da bancada da sigla na Câmara, caso um dos dois se licencie para assumir o ministério.