Depoimento de Mandetta à CPI preocupa Palácio do Planalto

O ex-ministro da Saúde será ouvido no Senado na próxima terça-feira (4)

Da CNN, em São Paulo
03 de maio de 2021 às 21:27 | Atualizado 03 de maio de 2021 às 21:31

Auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ouvidos em caráter reservado pela analista de política da CNN Renata Agostini, manifestaram preocupação com o conteúdo do depoimento que o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) vai prestar à CPI da Pandemia.nesta terça-feira (4). 

No Palácio do Planalto, o entendimento é o de que Mandetta será muito questionado pelos senadores. Em meio às respostas, temem que ele possa fazer afirmações que deem brechas para a responsabilização do governo federal.

Na sequência de Mandetta, o também ex-ministro da Saúde Nelson Teich é quem fala aos senadores. Teich permaneceu no Ministério da Saúde por menos de um mês e assumiu na sequência da saída de Luiz Henrique Mandetta.

Pazuello

Na quarta-feira (5), é a vez de outro ex-ministro, o general Eduardo Pazuello. Segundo apurou a analista Renata Agostini com integrantes do chamado G7, grupo de senadores independentes e de oposição que forma a maioria da comissão a intenção é deixá-lo se estender no depoimento e não adotar uma postura inquisidora. 

O motivo é o fato de todos os ex-ministros estarem na condição de testemunhas, por isso os senadores não querem possibilitar uma abertura para Pazuello achar que está sendo investigado. Assim, com a chegada de mais documentos oficiais, a comissão buscaria encontrar contradições na fala dele futuramente. 

O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta em entrevista à CNN
O ex-ministro Luiz Henrique Mandetta em entrevista à CNN
Foto: CNN (23.jun.2020)

Publicado por Guilherme Venaglia