Bancada feminina cobra mais espaço em CPI: 'Temos que matar um leão por dia'

Da CNN, em São Paulo
07 de maio de 2021 às 04:30

No segundo dia de depoimentos da CPI da Pandemia, as declarações do ex-ministro da Saúde Nelson Teich acabaram dividindo a cena como uma confusão entre senadores governistas e a bancada feminina do Senado. No dia anterior, o presidente da comissão Omar Aziz (PSD-AM) havia concedido às senadoras um lugar na fila na hora de fazer perguntas às testemunhas. Uma vez que a CPI é composta apenas por homens, a bancada feminina negociou a participação de algumas representantes nos encontros, ainda que sem direito a voto ou à apresentação de requerimentos.

Mas quando chegou a vez dos membros da CPI perguntarem a Nelson Teich, o senador governista Ciro Nogueira (PP-AL) não gostou do rearranjo de Aziz: "Vou aceitar hoje, em respeito à senadora, mas isso não foi discutido, não está em regimento e a gente fica sempre com o papel de ser o vilão dessa situação, de queremos cumprir o regimento aqui dentro e que o trabalho seja levado a sério". A fala foi dirigida à senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), e ela e outras senadoras da bancada feminina reagiram.

Neste episódio do E Tem Mais, Monalisa Perrone fala com a líder da bancada feminina do Senado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS). Na conversa com Monalisa, Thais Arbex e Caio Junqueira, a senadora fala da importância das mulheres não apenas na CPI, mas também em outros espaços de poder e decisão política. "Nossa luta não vem de agora, temos que matar um leão por dia para empoderar todas as mulheres em todas as áreas", afirma Tebet.

Conheça os podcasts da CNN Brasil:

CNN Mundo

Entre Vozes

5 Fatos

E Tem Mais

Abertura de Mercado

Horário de Brasília

Na Palma da Mari

O Que Eu Faço?

Todo o conteúdo da grade digital da CNN Brasil é gratuito.

Podcast E Tem Mais, com Monalisa Perrone
Podcast E Tem Mais é publicado de segunda a sexta, sempre no início da manhã
Foto: CNN Brasil