Sidney Rezende: 'Renan está sentindo um pouquinho os ataques contra ele'

No quadro Liberdade de Opinião, Rezende analisa a oitiva do ex-ministro das relações exteriores, Ernesto Araújo, na CPI da Pandemia

Da CNN, em São Paulo
19 de maio de 2021 às 09:20 | Atualizado 19 de maio de 2021 às 09:24

No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (19), Sidney Rezende comentou o depoimento do ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, na CPI da Pandemia, ao longo da última terça-feira (18). O jornalista também analisou a postura de alguns senadores dentro da comissão. Em suma, ele fala que Ernesto tentou "blindar" o presidente Bolsonaro (sem partido) e que o relator Renan Calheiros (MDB) estava "meio devagar".

“Achei o senador Renan Calheiros meio devagar. Eu acho que ele está sentindo um pouquinho os ataques contra ele e ele está mais ameno (...) Acho que ele fez um sobrevoo de temas importantes, mas sem aquela veemência. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD), não, ele foi bastante preciso e duro."

“O depoimento de Ernesto foi uma blindagem em relação ao presidente Jair Bolsonaro. Ontem surgiram, claro, o nome do presidente algumas vezes, além de perguntas, indagações um pouco mais questionadoras, tentando atrelá-lo como alguém que determinou algo que poderia ser trazido hoje como incorreto, ilegal. E nesse sentido mais um ex-integrante do governo tentou defender o presidente."

Ele também destacou o papel da senadora Kátia Abreu (Progressistas).

“Foi importante porque ela fez uma régua do início até o dia de hoje, do momento em que o Brasil começou a lutar por vacinas e como o ex-ministro Ernesto se comportou de lá até o momento em que ele deixou o cargo. Talvez essa tenha sido a fala mais relevante."

Sidney Rezende (19 de maio de 2021)
Foto: Reprodução / CNN

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.