Alexandre Garcia: Wilson Lima não ir à CPI da Pandemia é quase uma confissão

O jornalista avaliou nesta quinta-feira (10) o habeas corpus concedido ao governador do Amazonas para que ele possa não comparecer à comissão

Da CNN, em São Paulo
10 de junho de 2021 às 10:45

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (10), Alexandre Garcia avaliou o habeas corpus concedido pela ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), ao governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), para que ele possa não comparecer ou ficar em silêncio no depoimento à CPI da Pandemia. O depoimento estava previsto para hoje.

“Ao não ir à CPI, ele faz como um motorista que tenha bebido e se recusa a soprar no bafômetro. Isso [Wilson Lima não ir à CPI] já é uma informação, é quase uma confissão. Ele tem todo direito de ficar calado, está na Constituição, e a decisão da ministra Rosa Weber foi diferente da liminar do ministro [Luís Roberto] Barroso, que mandou abrir a CPI. Ela deu uma opção: ele [Wilson Lima] pode ir se quiser, mas se não quiser, não precisa. E ele decidiu por não ir, segundo informações”, disse o jornalista.

“Ele é um ponto-chave dessa questão do oxigênio de Manaus, mas não é só ele. Nós que acompanhamos as coisas sabemos que o caos da saúde de lá não é de agora e nem foi o coronavírus que fez.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (10.jun.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.