Waack: Bolsonaro sofre golpes na tentativa de consolidar discurso para 2022

O presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, disse que o voto impresso defendido por Bolsonaro não impede fraudes eleitorais

William Waack
Por William Waack, CNN  
09 de junho de 2021 às 23:10

Dois golpes duros na tentativa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de consolidar o discurso político dele para 2022. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, disse nesta quarta-feira (9) que o voto impresso não impediria fraudes eleitorais, que Bolsonaro voltou a mencionar sem apresentar provas.

E o Tribunal de Contas da União (TCU) afastou o servidor que inventou uma tabela, segundo a qual o número de mortos foi inflado por governadores para receber mais dinheiro do governo federal.

Simplesmente não há números para provar essa tese e muito menos a de que foram não tantos mortos por conta de um tratamento precoce, por qual também não existe comprovação científica. 

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em evento da Semana das Comunicações
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em evento da Semana das Comunicações (05.mai.2021)
Foto: Reprodução / CNN