Senadora vê fraude em documentos apresentados pelo governo sobre Covaxin

Simone Tebet (MDB-MS) apresentou à CPI da Pandemia análise feita pela sua assessoria com erros de informação, diagramação e de grafia em inglês em notas fiscais

Tiago Abech, da CNN, em São Paulo
06 de julho de 2021 às 21:21

Durante sessão da CPI da Pandemia nesta terça-feira (6), a senadora Simone Tebet (MDB-MS) apresentou uma análise feita por seus assessores a respeito de documentos divulgados relativos à negociação pela vacina de origem indiana Covaxin, com apontamento do que, na visão da parlamentar, são indícios de fraude.

Após a exposição de Tebet, a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) apresentou pedido para realização de perícia técnica nos documentos.

Em seu momento de fala na sessão que ouviu a servidora Regina Célia Silva Oliveira, fiscal do contrato, a senadora apresentou a análise de três versões diferentes do invoice, a nota fiscal de importação de produtos.

A primeira, fornecida pelo deputado Luis Miranda (DEM-DF) e o irmão, o servidor Luis Ricardo Miranda. As outras duas, as oficiais originadas do governo federal, sendo que uma foi apresentada pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral, Onyx Lorenzoni, durante pronunciamento.

Documentos apresentados pela senadora Simone Tebet (MDB-MS) à CPI da Pandemia (06.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN

À CPI da Pandemia, a senadora Simone Tebet apontou indícios de fraude nas duas versões originadas no governo. Segundo Tebet projetou em um telão na comissão (imagens abaixo), os documentos teriam erros inclusive de grafia em inglês e de diagramação, além de não aparentar ter sido digitalizado.

Documentos apresentados pela senadora Simone Tebet (MDB-MS) à CPI da Pandemia (06.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN
Documentos apresentados pela senadora Simone Tebet (MDB-MS) à CPI da Pandemia (06.jul.2021)
Foto: Reprodução / CNN

Para a senadora, há indícios de fraude, que podem configurar o crime de falsidade ideológica. 

"Nós estamos falando de falsidade ideológica formulada por alguém. Ele tem a marca e o logotipo desenquadrados, não estão alinhados em alguns pontos, como se fosse uma montagem. Eu tenho inúmeros erros de inglês, e, talvez, o mais desmoralizante dele seja o (erro) 17: no lugar de preço, 'price', está 'prince'", descreveu a senadora. 

Em inglês, "price" é o equivalente à palavra "preço" em português. Já a palavra "prince" significa, na tradução, "príncipe". Segundo a senadora, são 23 erros no documento analisado pela sua equipe.

Durante sessões recentes da CPI da Pandemia, senadores aliados ao governo Bolsonaro argumentam que a invoice foi alterada para retificar informações incorretas inicialmente incluídas, que não houve pagamento antecipado e que não há irregularidades na negociação pela Covaxin.

*Com informações de Maria Carolina Marcello, da Reuters, e Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo