Gisele Soares: CPI virou espetáculo político sem rigor técnico em investigação

No quadro Liberdade de Opinião, advogada analisou depoimento e prisão de Roberto Dias, ex-diretor do Ministério da Saúde, após depoimento no Senado

Da CNN, em São Paulo
08 de julho de 2021 às 10:04

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (8), a advogada Gisele Soares analisou o depoimento e a prisão do ex-diretor do Ministério da Saúde Roberto Dias por decisão da CPI da Pandemia. Ele pagou fiança no valor de R$ 1.100 e foi liberado horas depois.

A prisão foi pedida pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), que acusou o ex-diretor de mentir durante o depoimento. A ordem foi dada após áudios do celular de Luiz Paulo Dominghetti serem revelados pela CNN e colocarem em xeque a versão de Roberto Dias de que foi acidental o encontro em que Dominghetti afirma ter recebido um pedido de propina.

"Não houve falso testemunho. Infelizmente, a CPI não se atém ao rigor técnico que deveria ser próprio de toda investigação. Uma investigação tem objetivo específico, ela precisa apurar determinados fatos e quais são: eventuais desvios, ações ou omissões do governo federal com relação ao enfrentamento da pandemia", afirmou Gisele.

"Com esse objetivo, são feitos os depoimentos, são colhidos os documentos. Infelizmente, a CPI se perdeu, se tornou um grande espetáculo político e, por conta disso, não se atém ao rigor técnico das investigações e perde oportunidades importantes de efetivamente apurar indícios de autoria de possíveis crimes ou provas da materialidade delitiva desses crimes."

"Ontem, foi justamente uma perda dessa oportunidade. Dias fez declarações que antagonizaram outros depoimentos e até provas apresentadas anteriormente", avaliou a advogada. "O correto seria a promoção de uma acareação ou nova oitiva, reperguntar a esses depoentes, para que se pudesse apurar quem falou a verdade, quem mentiu ou, eventualmente, que se apurasse que os dois mentiram ou os dois falaram a verdade."

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN. Nesta quinta-feira, excepcionalmente, teve a participação de Gisele Soares.

Gisele Soares no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (8.jul.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.