Presidente da CPI propõe acareação entre Onyx Lorenzoni e deputado Luis Miranda

Miranda disse à CNN que alertou Bolsonaro sobre irregularidades no contrato com a Covaxin; Onyx convocou pronunciamento para negar acusações

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo
09 de julho de 2021 às 15:33 | Atualizado 09 de julho de 2021 às 15:40

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), propôs uma acareação entre o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, e o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF).

"O senador Renan [Calheiros] já quer trazer [o Onyx Lorenzoni para depor à CPI]. Ele acha que agora já chegou, realmente, a hora de trazê-lo. E até fazer uma acareação com o deputado Luis Miranda para saber quais foram providências [que foram tomadas]. Porque o deputado Luis Miranda diz que ia me mandar um dossiê e não me trouxe nada", disse o presidente da CPI. "Vamos ver quem está mentindo. Será a melhor coisa do mundo que nós vamos fazer."

A ideia do parlamentar surgiu após uma discussão entre o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ). Enquanto o oposicionista defendia o que o depoente William Amorim Santana, técnico da divisão de importação do Ministério da Saúde, estava falando, o governista tentava desmentir o que era dito.

Em pronunciamento no dia 23 de junho -- data em que Luis Miranda disse à CNN que levou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) "provas" de irregularidades com Covaxin --, Onyx convocou um pronunciamento para defender o governo federal da acusação.

Na ocasião, o chefe do Executivo determinou a abertura, pela Polícia Federal, de uma investigação para apurar as declarações do deputado.

Senadores da CPI reúnem-se para discussão
Foto: Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado