Garcia: Michelle Bolsonaro é discretíssima, não iria se meter em irregularidades

No quadro Liberdade de Opinião desta terça (13), o jornalista falou sobre o possível envolvimento da primeira-dama na negociação que envolve compra de vacinas

Da CNN, em São Paulo
13 de julho de 2021 às 10:05

No quadro Liberdade de Opinião desta terça-feira (13), Alexandre Garcia falou sobre o possível envolvimento de Michelle Bolsonaro na negociação que envolve a compra da vacina indiana Covaxin.

Novas mensagens do celular do policial militar Luiz Paulo Dominghetti, sobre a venda de vacinas ao governo federal, vieram a público. O diálogo, que foi revelado pela revista Veja e confirmado pela CNN, cita a primeira-dama na negociação de imunizantes.

O material, que está em posse da CPI da Pandemia, revela uma mensagem do dia 3 de março entre Domingheti e Rafael Alves, que auxiliava na negociação das vacinas. O policial militar diz “Michele está no circuito agora, junto ao reverendo”. O reverendo é Amilton de Paula.

“Alguém disse para ele [Luiz Paulo Dominghetti] que ele ganharia muito dinheiro, os olhos brilharam e ele ficou empolgado, achou que ia ser o grande intermediário de vacinas. A primeira-dama é discretíssima, fica fazendo a obra social dela sem contar para ninguém, não faz propaganda, jamais ia se meter nisso. Gente, está muito óbvio. A questão é que, como Tasso Jereissati constatou no dia do depoimento do cabo, as histórias que ele conta são totalmente inverossímil.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Alexandre Garcia no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (13.jul.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.