Rodrigo Pacheco deseja melhoras a Bolsonaro; veja repercussão da internação

Mídia internacional também repercute hospitalização por obstrução intestinal do presidente da República

Da CNN, em São Paulo
14 de julho de 2021 às 18:26

 O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), abriu a sessão de plenário desta quarta-feira (14) falando do quadro de saúde do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e desejando melhoras ao presidente, hospitalizado por obstrução intestinal nesta madrugada. Nesta tarde, Bolsonaro veio para São Paulo para verificar se precisará passar por uma operação de emergência.

“Hoje pela manhã nós teríamos a oitava reunião do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, comitê do qual participam o presidente da República, do Senado e da Câmara, representantes do Conselho Nacional de Justiça e do Conselho Nacional do Ministério Público, ministros de estado, em especial o ministro da Saúde. Logo pela manhã fui comunicado do cancelamento da reunião e depois veio o motivo do cancelamento, que foi a internação do senhor presidente da República Jair Bolsonaro com o quadro de saúde que mereceria cuidados. Agora tivemos a notícia da transferência do presidente da República para a cidade de São Paulo para avaliação sobre a necessidade ou não de uma intervenção cirúrgica. Gostaria de, em nome do Senado Federal, estimar ao senhor presidente da República Jair Bolsonaro, pronta melhora no seu quadro de saúde, que se recupere o mais rapidamente possível. Esses são os nossos votos, os nossos desejos pelo Senado Federal.”

 

Além da reunião do comitê da Covid-19, Pacheco tinha outro encontro marcado com Bolsonaro nesta quarta-feira (14), também cancelado. 

Estava agendado para hoje o encontro do presidente da República com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. O encontro foi uma maneira dos líderes do judiciário e legislativo de estabelecer uma trégua com Bolsonaro sobre as ameaças à realização das eleições de 2022. 

Fábio Faria

Quem também falou do estado de saúde de Bolsonaro foi o ministro das Comunicações Fábio Faria. Na coletiva convocada para falar da data de julgamento do leilão do 5G pelo Tribunal de Contas da União, que vai acontecer em agosto, Faria abriu sua fala com um comentário sobre o quadro de saúde do presidente. 

“O presidente vai ser transferido para São Paulo e vai ser submetido a testes para ver se é necessária uma cirurgia de emergência ou não, com o doutor Macedo, que é o médico dele, desde a época da facada. Ele vem tento intercorrências e já são três cirurgia deu que ele passou e talvez precise de uma quarta. Esperamos que ele esteja brevemente recuperado e que possa voltar a nos ajudar comandando o país,” disse o ministro das Comunicações

Repercussão internacional

O quadro de saúde de Bolsonaro também foi assunto na imprensa internacional, que destacou o problema de soluções que já dura dias. Confira abaixo como alguns jornais comunicaram a notícia da hospitalização do presidente:

Washington Post: disse que o presidente brasileiro foi internado devido a soluços que não passam. destacou que isso ficou evidente no dia 8 de julho quando Bolsonaro fez um discurso e soluçou 14 vezes no primeiro minuto de fala.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), falou à imprensa após reunião com governadores
Foto: Reprodução/CNN Brasil (26.mar.2021)

 

The Guardian: destacou na manchete que o problema dos soluços persiste há 10 dias e informa os leitores que Bolsonaro pode ser operado de emergência em São Paulo. Disse também que o presidente de 66 anos foi internado às pressas.

Clarín: destacou que Bolsonaro foi internado às pressas em um hospital das Forças Armadas em Brasília e que poderia seguir para São Paulo para uma operação.

(Publicado por Marina Motomura)