Rezende: Se Bolsonaro fizer live hoje, situação é menos grave do que imaginamos

No Liberdade de Opinião, jornalista Sidney Rezende repercutiu declarações e postagens feitas após o presidente Jair Bolsonaro ser internado

Da CNN, em São Paulo
15 de julho de 2021 às 09:30

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (15), Sidney Rezende falou sobre o estado de saúde do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que enfrenta um quadro de obstrução intestinal e foi transferido de Brasília para São Paulo para novos exames.

Em nota, o governo federal informou que a obstrução foi decorrente do atentado à faca e que os médicos vão avaliar a necessidade de uma cirurgia de emergência.

"[Na cobertura da morte de Tancredo Neves], aprendi muita coisa. Falsa informação, muitas vezes com boletins incorretos ou incompletos, os aliados dizendo uma coisa, os médicos outra. Essa confusão de informações é muito ruim para a opinião pública", analisou Rezende.

"Se o presidente fizer a live [de quinta-feira], a situação é menos grave do que imaginamos. E ele deve seguir se o médico der a orientação para ele ficar calmo, em silêncio, evitar qualquer exagero para evitar uma cirurgia, pois não decidiram ainda se vai ter uma cirurgia. O médico acredita que pode tratar do presidente de uma forma que se evite intervenção cirúrgica", completou.

Sobre uma possível politização da doença de Bolsonaro, o jornalista afirmou que esse não é o melhor caminho. "Um governante tem que pensar no seu povo, e não só em si próprio. Ele tem que pensar no país. A exploração política não ajuda em nada o país. Precisamos saber qual é a real situação do presidente e quando ele estará apto pra voltar e o que ele tem exatamente."

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (15.jul.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.