Augusto Aras afirma estar 'honrado' com nova recomendação à PGR

'Reafirmo meu compromisso de bem e fielmente cumprir a Constituição e as Leis do País', afirmou o atual procurador-geral da República em nota

Giovanna Galvani, da CNN, em São Paulo
20 de julho de 2021 às 16:18 | Atualizado 20 de julho de 2021 às 17:09

 O procurador-geral da República Augusto Aras disse sentir-se "honrado" com a recomendação à recondução ao cargo feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta terça-feira (20).

“Honrado com a recondução para o cargo de procurador-geral da República, reafirmo meu compromisso de bem e fielmente cumprir a Constituição e as Leis do País”, afirmou Aras em nota.

O anúncio de que o atual PGR poderá exercer o cargo por mais dois anos foi realizado por Bolsonaro nas redes sociais. 

Com isso, o presidente escolheu novamente não indicar um dos apontados na lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para o cargo - tradição rompida por ele na primeira indicação de Aras, em 2019. 

O presidente não é obrigado a nomear o primeiro colocado dentre os escolhidos pela ANPR, mas prática é bem vista dentro do Ministério Público Federal. A nomeação do primeiro lugar da lista tríplice vinha sendo seguida desde 2003 pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT). Já Michel Temer (MDB) escolheu indicar Raquel Dodge, a segunda da lista enviada ao ex-presidente.

Para ser reconduzido, Aras deverá ser aprovado pela maioria absoluta dos senadores após a volta do recesso parlamentar, em agosto. 

Solenidade de Posse do Procurador-Geral da República, Augusto Aras, em 2019
Foto: Isac Nóbrega/PR