Após vaias em evento com Lula, Paulinho da Força cancela ato em que Solidariedade anunciaria apoio ao PT

Decisão foi comunicada à presidente do PT, Gleisi Hoffmann; deputado afirmou que vai ouvir o partido novamente para definir que caminho tomar

Thais Arbexda CNN

Ouvir notícia

Depois de ter sido vaiado durante o encontro de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Geraldo Alckmin (PSB) com sindicalistas em São Paulo nesta quinta-feira (14), o deputado Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, decidiu cancelar o ato em que seu partido anunciaria apoio à candidatura do ex-presidente petista ao Palácio do Planalto. O evento estava marcado para o dia 3 de maio.

Segundo aliados, Paulinho comunicou a decisão à presidente do PT, Gleisi Hoffmann, na manhã desta sexta (15). O deputado disse à dirigente petista, de acordo com relatos, que vai ouvir o partido novamente para definir o caminho do Solidariedade.

Gleisi teria dito que as vaias partiram de um grupo pequeno e não representam o sentimento do PT. A dirigente petista também teria se comprometido a ter uma conversa interna.

Procurada pela CNN, Gleisi disse que ligou para Paulinho para prestar solidariedade e lamentar o episódio. “Disse que, de forma alguma, expressa o que pensa a maioria do PT”, afirmou a deputada.

“O Solidariedade é um partido muito importante nessa construção nacional, que tem nos ajudado muito”, disse Gleisi à CNN.

Paulinho, que é presidente de honra da Força Sindical, foi alvo de críticas de petistas durante o evento por ter apoiado o impeachment de Dilma Rousseff (PT). A avaliação de integrantes do Solidariedade que conversaram com a CNN é a de que as vaias ao deputado poderiam ter sido rechaçadas pelo PT, uma vez que o ato acontecia em ambiente controlado —ou seja, apenas com militantes.

O entendimento dentro do Solidariedade é o de que o PT precisa dar sinais claros de que a aliança com o partido é importante para a candidatura de Lula ao Palácio do Planalto.

Debate

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por todas as plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN