Coronavírus: 'Não é momento para pânico' no Brasil, diz médico sanitarista


26 de fevereiro de 2020 às 20:52
Foto do sanitarista Sérgio Zanetta durante entrevista para o programa CNN 360

Crédito: Foto: reprodução / CNN Brasil

 

O Brasil está preparado para lidar com o coronavírus, afirmou o médico sanitarista Sérgio Zanetta, professor da Faculdade de Medicina do Centro Universitário São Camilo. Durante entrevista para o programa CNN 360, o especialista declarou que "não é momento para pânico".

 

 

Segundo Zanetta, o primeiro e mais importante fator para o combate ao coronavirus no Brasil é o SUS (Sistema Único de Saúde), que há mais de 30 anos opera no controle de doenças no país. A experiência, segundo o sanitarista, é a maior das provas da eficácia do sistema, que já passou por outras crises, como a Sars e a H1N1, e criou protocolos para lidar com o problema.

 

“O SUS é como um anjo da guarda que atua em silêncio”, explica Zanetta. “Não sabemos a cura da doença, mas sabemos como manejá-la.”

 

Ele ainda destaca a atuação do Brasil no primeiro caso confirmado de coronavírus, que já identificou todos aqueles que estiveram em contato com o paciente infectado. No momento todos estão sendo monitorados.

 

Outro ponto positivo para o Brasil na luta contra a doença está em seu clima. O tempo úmido dificulta a transmissão de doenças respiratórias, que encontra mais facilidade de se proliferar no frio seco.

 

Comunicação como caminho

 

Zanetta também critica a desinformação presente nos debates sobre coronavírus.

 

“A informação tem que ser comunicada de maneira objetiva, científica e verdadeira para que as pessoas mantenham a confiança naquilo que leem”, diz o sanitarista, que também critica a instrumentalização dos discursos. “Politizar a questão faz perder o caminho da verdade, e a verdade científica orienta as ações.”

 

Outro ponto ressaltado pelo médico foi a natureza do vírus, que é apenas uma variação de uma família de virus, e que tem baixa taxa de mortalidade perto de outros “irmãos”. 

 

“O Coronavírus tem cerca de 2% taxa de mortalidade, baixo perto de outras variações da doença, que chegam a ter mais de 30% de taxa de mortalidade”.