Coronavírus: OMS eleva nível da ameaça internacional para 'muito alto'


28 de Fevereiro de 2020 às 19:07
Droga contra coronavírus está em desenvolvimento

Um teste clínico está em desenvolvimento para avaliar o quão eficaz uma droga antiviral seria em pessoas diagnosticadas com o coronavírus

Crédito: Josué Demacena / Agência Brasil

A Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou nesta sexta-feira (28) para o "muito alto" o risco de o novo coronavírus (COVID-19) tornar-se uma pandemia. Segundo o diretor-geral do órgão, Tedros Adhanom, o foco de preocupação da entidade são os surtos de coronavírus na Coreia do Sul, Itália e Irã, uma vez que o número de novos contágios na China tem caído constantemente. 

“O aumento contínuo no número de casos e o número de países afetados nos últimos dias são claramente preocupantes”, afirmou Adhanom. “Nossos epidemiologistas estão monitorando esses acontecimentos continuamente, e elevamos agora nossa avaliação do risco de disseminação e impacto do novo coronavírus para muito alto em nível global.”

Iranianos e italianos estão no foco da OMS para evitar a disseminação do vírus para outros países. De acordo com a OMS, 97 casos oriundos do Irã foram registrados em 11 países. Outros 24 casos originários da Itália foram exportados para 14 países. 

A maioria dos casos suspeitos é de pessoas que tiveram contato com pacientes infectados, e ainda não há evidências de livre disseminação nas comunidades. Sendo assim, a OMS afirma que “temos chance de conter esse vírus, se houver uma ação robusta para detectar casos antecipadamente, isolar e tratar pacientes”.

Adhanom disse que a chave para conter o COVID-19 é quebrar as cadeias de transmissão. Para isso, a OMS pede para todos os países educarem seus povos, ampliarem a vigilância, encontrarem, isolarem e tratarem cada caso, além de traçarem todos os contatos que o paciente infectado teve com outras pessoas.

De acordo com a organização, mais de 20 vacinas estão em desenvolvimento no mundo e os primeiros resultados devem ser divulgados nas próximas semanas.