Fiocruz começa a distribuir testes rápidos para novo coronavírus


Da CNN Brasil, em São Paulo
04 de março de 2020 às 16:30
Análise laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil

Análise laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil

Crédito: Divulgação/ Josué Damacena (IOC/ Fiocruz

Começou nesta quarta-feira (4) a distribuição dos testes rápidos para o novo coronavírus. O método foi desenvolvido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado pelo Ministério da Saúde na segunda-feira (2).

Nas próximas duas semanas, 10 mil testes serão distribuídos em 14 estados: Amazonas, Pará, Roraima, Bahia, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. No total, a Fiocruz produzirá 30 mil testes.

À CNN Brasil, o gerente Programa de Desenvolvimento Tecnológico de Reativos para Diagnóstico de Bio-Manguinhos/Fiocruz, Antônio Ferreira, disse que a Fiocruz ainda está acompanhando a possibilidade de produção de medicamentos contra a doença. "À medida que surgem outras situações, a gente vai prontamente tentar produzir novos ensaios para atender às demandas", concluiu.

Além dos testes para o coronavírus, a Fiocruz de ainda irá disponibilizar testes para a detecção de Influenza A e B, que, segundo Ferreira, devem registrar casos pelo país.

Na segunda (2), o secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que todos os estados serão capacitados para testes nas próximas duas semanas e, em 20 dias, todos os laboratórios centrais do Brasil realizando o teste específico para coronavírus.

Nos últimos dias, o ministério descentralizou a gestão de dados de notificações de casos suspeitos, provocando um crescimento no número de suspeitas de coronavírus no país. Atualmente, são 433. Os dados são atualizados diariamente. / Com informações da Agência Brasil