Mastercard fecha escritório em São Paulo e coloca funcionários em quarentena


Evelyne Lorenzetti e Gabriel Passeri, da CNN Brasil em São Paulo
06 de março de 2020 às 19:32 | Atualizado 06 de março de 2020 às 20:33

Coronavírus: passageiros com máscaras no aeroporto internacional do Rio de Janei

Passageiros com máscaras no aeroporto internacional do Rio de Janeiro (05.mar.2020)

Photo: PIlar Olivares/Reuters
 
A Mastercard fechou seu escritório em São Paulo e colocou seus empregados para trabalhar de casa nesta sexta-feira (6), após a confirmação de que um funcionário contraiu o novo coronavírus. Segundo a empresa, a medida foi adotada após ser aconselhada pelas autoridade de saúde pública. 
 
Em nota, a empresa confirmou o diagnóstico e disse que o funcionário já está recebendo os cuidados médicos adequados. "No início desta semana, esse funcionário visitou nosso escritório em Purchase North no estado de Nova York. Embora se acredite que haja um baixo risco de transmissão para a maioria de nossos funcionários que não estiveram em contato próximo com esse indivíduo, notificamos os membros da nossa equipe e eles estão tomando as medidas necessárias para monitorar sua própria saúde", completou.
 
Os escritórios de São Paulo e de Purchase North foram fechados para "higienização completa", disse a Mastercard. A companhia também informa que os trabalhadores que tiveram contato com o infectado por 14 dias ficarão isolados, trabalhando de casa durante o período.
 
"Eles só retornarão ao escritório após esse período e desde que eles - ou qualquer membro de sua família - não estejam doentes ou apresentando os sintomas", declarou a empresa. As operações da Mastercard, no entanto, continuam normalmente.