Mandetta vê coronavírus 'letal' ao sistema de saúde e pede mais recursos


Da CNN Brasil, em São Paulo
11 de março de 2020 às 19:46 | Atualizado 11 de março de 2020 às 19:47
Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta

Luiz Henrique Mandetta atualiza a situação do novo coronavírus no Brasil (11.mar.2020)

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
 
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quarta-feira (11), na Câmara dos Deputados, que vê riscos de o sistema de saúde não comportar os atendimentos por suspeita de coronavírus. "Se ele (o vírus) não tem uma letalidade individual elevada, tem uma letalidade ao sistema de saúde", afirma.

O Ministério da Saúde confirmou nesta quarta 53 casos confirmados da doença no país e outros 907 suspeitos. A previsão é que ocorra uma ampliação de 1,5 mil para 6,7 mil postos de saúde com horário estendido no programa Saúde na Hora para atender os pacientes. 

Segundo o ministro, quanto mais aguda a curva epidemiológica, mais pessoas acionam o sistema de saúde. No Japão, por exemplo, a curva anda mais lentamente. "Isso porque os japoneses levam as orientações e recomendações profundamente a sério e fazem um comportamento da disciplina oriental um mantra", afirma Mandetta.

Mandetta falou também sobre a importância de ampliação do orçamento da pasta. "Esse é um dos motivos que estou pedindo recurso, porque para fazer isso, tenho um impacto de quase R$ 1 bilhão", explica.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou hoje que a entidade elevou o estado da contaminação como pandemia. A mudança da classificação se deve à rápida disseminação da doença pelo mundo.  De acordo com o último levantamento da organização, o vírus já infectou 118.381 pessoas, em 114 países ou territórios. Já são 4.292 mortes registradas.