Coronavírus: número de casos suspeitos no Brasil sobe de 20 para 132


14 de março de 2020 às 15:45
Luiz Henrique Mandetta em coletiva sobre coronavírus

Luiz Henrique Mandetta em coletiva sobre coronavírus em Brasília (26.fev.2020)

Crédito: Reprodução/NBR

Subiu para 132 o número de casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19) no Brasil. O dado foi divulgado pelo Ministério da Saúde na tarde desta quinta-feira (27), atualizando a informação anterior de 20 casos em análise. Até o momento, apenas um paciente teve diagnóstico confirmado no país para a doença: um homem de 61 anos, residente em São Paulo, que viajou à Itália recentemente e apresenta bom estado clínico.

De acordo com a pasta, entre as novas suspeitas há 121 pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, oito que entraram em contato com outros possíveis infectados e três que estiveram próximas ao único paciente com diagnóstico positivo até aqui. 

Atualmente, 16 estados registram casos suspeitos. Pelo atual sistema de análise do Ministério da Saúde, são analisados clinicamente todos os pacientes que apresentarem febre e mais um sintoma de gripe (como tosse ou falta de ar) e tiveram passagem pela Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Coreia do Norte, Tailândia, Vietnã e Camboja, além da China, nos últimos 14 dias.

Todas as notificações de casos suspeitos, inicialmente levantadas pelas secretarias estaduais de Saúde, são avaliadas, caso a caso, com especialistas do Ministério de Saúde e depois submetidas a exames. Seguindo esse processo, 60 casos suspeitos já foram descartados no Brasil até o momento. 

Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. 

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (27), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que a pasta pretende capacitar em outras regiões do país centros de excelência em epidemiologia. Atualmente, os laboratórios de referência nacional são a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro; o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo; e o Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará.

Vacina

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, o secretario de Saúde de São Paulo David Uip afirmou que o Instituto Butantan está trabalhando em uma vacina contra a doença, que ainda está em fase inicial de desenvolvimento. Ele ressaltou que o coronavírus faz parte de uma classe comum e já combatida.

“O coronavirus não é novo. Sua classe de vírus é responsável por cerca de 5% a 10% de infecção pulmonares em adultos, então estamos em situação de conforto e conhecimento. Estamos preparados para combater uma situação conhecida”.