'Precisamos de reforço médico nos hospitais', diz presidente do CREMERJ


Da CNN Brasil, em São Paulo
18 de março de 2020 às 10:02 | Atualizado 18 de março de 2020 às 14:17

Médico e presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio (CREMERJ), Sylvio Provenzano, afirmou à CNN, nesta quarta-feira (18), que o estado do Rio de Janeiro não tem equipe médica suficiente para a demanda de casos do novo coronavírus (COVID-19) e pediu mais profissionais nos hospitais.

"O secretário estadual de Saúde e o nosso responsável do governo federal, Marcelo Lambert (representante do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro), sabem muito bem que o quantitativo é insuficiente", disse Provenzano. "A gente precisa de reforço nas unidades, particularmente em emergência, e também de médicos habilitados para cuidar da medicina intensiva", alerta.

Provenzano destacou que a falta de profissionais deve impactar diretamente as pessoas com complicações por conta do COVID-19. "Os casos mais graves, que vão precisar de assistência intensiva, têm de ser tratados em unidades especializadas e com médicos intensivistas", esclarece.

O presidente do CREMERJ ainda ressaltou que o número de casos graves pode explodir se não houver prevenção e destacou a importância do isolamento para evitar o contágio da doença. "Confinamento é arma absolutamente indispensável contra coronavírus", afirmou. Ele ainda pediu que as pessoas não usem as férias escolares ou afastamento do trabalho para passeios de lazer, a fim de evitar "levar o vírus para casa".

Para ele, sem medidas como isolamento domiciliar, "a quantidade de pacientes que vão precisar desse tipo de cuidado poderá nos levar a uma situação como a Itália está vivendo. "O exemplo desses países onde a epidemia começou antes de nós deve servir de exemplo para que a gente tenha cuidado", defende. "Não há sistema de saúde no mundo capacitado para atender uma demanda aguda de muitos pacientes que necessitam de cuidados especiais".